CONSOLIDANDO A HONRA NO PRESENTE PARA TER UM FUTURO DE ÊXITO

Categories: Palavra de Célula,Palavra de M12

As pessoas que eu conheço têm o mesmo discurso e o mesmo desejo: ter um futuro de êxito em tudo que estão fazendo, principalmente no âmbito pessoal como familiar.

Há uma preocupação generalizada em todo o indivíduo que é ver sua família bem e estar bem. Ficamos preocupados quando pessoas que amamos não desatam a unção de conquista e não alcançam a bênção da prosperidade atrelada ao seu caráter.

Claro que podemos fazer muito, mas dentro do nosso limite. Não podemos fazer tudo, porque cada um tem que fazer a sua parte, aquilo que é de responsabilidade pessoal. Antigamente, eu ficava com um peso terrível no coração, pensando que eu poderia ser melhor em todos os níveis para suprir a necessidade das pessoas. Depois, com a maturidade, percebi que muitos ficaram viciados quando eu os ajudava nas necessidades básicas que não eram da minha competência, mas da luta diária de cada um.

Também descobri que cada pessoa colhe segundo a semeadura realizada no passado. Somos, no presente, a semente de ontem. E, seremos, no futuro, a semente de hoje. Por isso, precisamos, com integridade, saber o que estamos plantando e por onde estamos caminhando. As pessoas não podem viver à nossa sombra. Cada um tem que viver a sua própria liberdade e conquistar o seu próprio território.

O sentimento de culpa quando não há culpa é uma ação do inimigo ou até mesmo da nossa chamada, generosidade e benevolência, quando o nosso coração fica cheio de piedade por parentes e pessoas. É preciso entender que não somos culpados pelo insucesso das pessoas nem somos responsáveis pela falta de conquista de cada uma delas.

O que precisamos é pontuar onde está o erro e orientar as pessoas de acordo com a necessidade de cada uma delas, de acordo com a realidade que foi galgada e de acordo com o momento que estão vivendo.

Há pessoas que estão sofrendo absurdamente por causa de uma quebra de Princípio, principalmente no que se refere à Honra, pois não sabem se mover pela Honra nem militar nessa chamada tão maravilhosa que é Honrar Deus, os pais, as autoridades. Não conseguem viver debaixo de obediência e Honra à hierarquia espiritual.

Todas as pessoas que vivem no insucesso têm, por trás, a quebra de um Princípio. Claro que há exceção para aqueles que não souberam brigar pela vida e galgar seu território, mas isso é muito à parte. A maioria das pessoas que enfrentam dificuldades de conquistas em diversas áreas e dificuldades financeiras é por falta de responsabilidade com a sua própria vida e dos outros no quesito Honra. Não cuidaram de si nem das pessoas que estão ao seu redor.

Honrar pai e mãe, uma Honra que não pode ser negligenciada

O Princípio de Honrar pai e mãe faz parte de uma pauta de responsabilidade que todos nós temos que colocar em ordem. Honrar pai e mãe não é uma vontade humana, mas um decreto divino, um mandamento com promessa que dá direito a longevidade.

Essa longevidade está atrelada à parte espiritual, emocional, física, financeira e tantas outras áreas que precisamos conquistar. De que adianta viver dias longos sobre a Terra de uma forma sem prazer, brigando por aquilo que é elementar? Deus tem para os que Honram pai e mãe dias longevos com recursos de sobrevivência prazerosa.

Eu diria que a Honra a pai e mãe é uma semente que dá direito a ser longevo com prosperidade. Vemos que essa é a história de Israel em Honrar pai e mãe. O Princípio aprendido desde cedo faz com que vivam fartamente em todas as áreas, sem ter necessidade de coisa alguma, visto que a Honra supre necessidades.

Quando exercemos o Princípio da Honra com pai e mãe, portas inimagináveis se abrem na nossa direção. Precisamos entender que somos parte desse avivamento e chamados para uma conquista inenarrável. As pessoas precisam ver em nós esse caráter implementado e essa Honra estabelecida.

Poderia dizer que quando entendemos o Princípio da Honra, usamos as ferramentas corretas no presente e geramos um futuro de êxito.

 

Consertar caminhos para obter Honra

Hoje, quando encontro pessoas que, no presente, estão com dificuldades, pergunto quais as sementes plantadas no passado. Se formos categóricos, avaliamos que as pessoas com as quais convivemos e que vivem debaixo de vergonha, é porque cometeram uma desonra lá atrás que não foi consertada.

Quando consertamos nosso passado, endireitamos nosso futuro. Existe uma forma de voltarmos ao passado: através das veredas antigas. As veredas antigas são o único caminho que dão acesso ao passado e consertam as obras más, removendo a contaminação dessas sementes.

Os pontos negativos da nossa vida, principalmente os pontos de desonra, não podem ser apenas deixados para trás. É preciso haver conserto, para que possamos fazer um upgrade no nosso futuro.

Pessoas que querem ter um futuro de êxito precisam consertar o seu passado, caso contrário o êxito que esperam nunca chegará. É fundamental descobrir a importância de consolidar a Honra no presente para ter um futuro de êxito garantido.

Se você quer ter um futuro de êxito, precisa estar atento às sementes que está plantando. As sementes que você planta no seu presente são uma voz para o seu futuro.

Deus só nos pede uma semente quando há uma colheita preparada para nós. E nós, que queremos colher um futuro de êxito, precisamos consertar o passado, respeitar o presente e viver tudo aquilo que está preparado pelo Pai.

Vamos estudar três pontos que podem nos levar a um futuro de êxito:

 

1. Sementes do presente falam com o futuro

Todas as sementes plantadas no presente frutificam no futuro. A única maneira de darmos ordem ao futuro é plantando sementes no presente. O futuro não obedece ordem de palavras, não obedece ordem de sentimentos, não obedece ordem de intenções.

Palavras, sentimentos e intenções não movem futuro; o que move futuro é uma semente. Toda semente plantada é uma ordem emitida que faz com que o futuro se submeta e visite o presente com mudança de histórico.

Como homens e mulheres que já entendem o Princípio da Honra, precisamos descobrir as ferramentas que são utilizadas para que essas sementes ganhem voz no futuro. Dizer que sementes falam é verdade. Nada é mais poderoso do que a semente chamada palavra. Jesus citou a parábola das sementes (Mateus 13:1-43).

Essa parábola mostra os valores que as pessoas têm que colocar no coração para que as sementes não sejam roubadas, nem no meio do caminho, nem na rocha, nem à beira do caminho. E descobrir que sementes sem profundidade são desejadas pelo inimigo para serem arrebatadas.

Esse arrebatar é tirar de um nível de prosperidade para levar para um nível de vergonha. O inimigo fica lutando, como lemos em Mateus 13, para que a semente não seja consolidada. E nós, que somos líderes de avivamento, temos que compreender o valor e a importância da semente, sabendo que ela é uma voz para o futuro.

Se eu vou consolidar a Honra no meu presente para ter um futuro de êxito, então eu tenho que descobrir que as sementes, de fato, falam. É só olharmos para a história de José. É interessante que ele não imaginava que tudo o que estava fazendo através dos seus sonhos, da sua história e do que o Senhor estava levantando na vida dele, daria um resultado poderoso lá na frente, e ele se tornaria rei.

Você pode ter pensado: José, rei? Eu sei que a Bíblia diz que José foi governador. Mas, refiro-me ao fato de que Faraó se afastou do trono, no sentido de deixar com que ele, mesmo sendo um jovem, reinasse e governasse o Egito. Claro que a mão de Deus era visível na vida de José, e isso anima o nosso coração, porque somos servos do mesmo Deus. E, mesmo sabendo que não faltam os Faraós, Deus nos dará condição de reinar sobre eles para termos a oportunidade de uma colheita extraordinária.

 

2. Sementes de fé desatam prosperidade

No reino espiritual, as sementes estão ligadas aos dons espirituais, dos quais o principal deles é a fé. No hebraico, fé éEmunah, e significa ser transportado, começar a entrar no sobrenatural, ver no sobrenatural, requerer direitos e buscar o que é de propriedade nossa. Emunah vem da raiz Aman e também significa contemplar uma promessa.

Há uma guerra na qual o inimigo leva o que foi conquistado, porque ele arrebata as sementes. O que vemos em Marcos 3:27 é uma declaração de que o mundo espiritual monta um complô, pois o mundo espiritual monta uma cumplicidade para anular toda a nossa conquista, se não vigiarmos. “Pois ninguém pode entrar na casa do valente e roubar-lhe os bens, se primeiro não amarrar o valente; e então lhe saqueará a casa.” (Marcos 3:27)

Vemos que mesmo homens de Deus, como está escrito em Hebreus, podem ser visitados. Tudo está no campo da fé. Quando utilizamos nossa fé, desatamos nossa conquista (Hebreus 11:1-40).

A semente da fé é tudo o que plantamos acreditando, mesmo quando o solo não é favorável, quando a terra não está adequada ou quando não estamos vivendo um momento que facilite nossa história. Inclusive essa é a história que vemos na vida de Isaque. “Isaque semeou naquela terra, e no mesmo ano colheu o cêntuplo; e o Senhor o abençoou. E engrandeceu-se o homem; e foi-se enriquecendo até que se tornou mui poderoso; e tinha possessões de rebanhos e de gado, e muita gente de serviço; de modo que os filisteus o invejavam.” (Gênesis 26:12-14)

Isaque plantou e colheu na terra da aflição porque entendeu que deveria plantar sementes como um ato profético para colher depois. E sabemos que sua colheita foi extraordinária. Assim será conosco, pois toda a nossa conquista está atrelada a um milagre. Não podemos ter um ato de Honra ou plantar uma semente de fé sem termos o entendimento espiritual aberto.

Primeiro eu consolido a Honra a Deus, aos pais, às autoridades e às pessoas que estão ao meu redor, exatamente como fez Isaque que pediu a bênção a Abimeleque. Ele poderia ter ido para a terra dos seus pais, que era mais distante, mas como viu que o tempo das sementes venceria e que não tinha tempo hábil para plantar na terra dos seus pais, pediu autorização a Abimeleque.

Honra é uma autorização para dar legitimidade no território em que estamos. Quando temos legitimidade no território em que estamos, plantamos e colhemos a cem por um. Isaque prosperou, e a Bíblia diz que ele prosperou muito, de forma que ficou riquíssimo. E os inimigos se levantaram contra ele, movidos por inveja, por causa da sua riqueza.

Descobrimos que para termos a solução diante dos nossos olhos, precisamos manter as sementes plantadas debaixo da responsabilidade da fé. Se eu quero entender o Princípio espiritual da semente, eu preciso desatar a fé e consolidar a Honra.

Não fazemos nada e não chegamos a lugar nenhum, ainda que tenhamos fé, se não tivermos, também, a legitimidade do território.

 

3. Sementes confessadas manifestam frutos de mudança

A consolidação da Honra que fazemos no presente e que desata o êxito para o nosso futuro está relacionada às sementes confessadas. É necessário cuidar das sementes que plantamos.

Quando entendemos o Princípio da Honra, não deixamos a semente de qualquer maneira. A semente precisa ser guardada e plantada no tempo hábil, bem como vigiada em todo o tempo.

Algumas pessoas guardam a semente, e ela explode no celeiro e perde toda a sua funcionabilidade. Outras pegam a semente, plantam, mas não se lembram de regá-la. O resultado é que ela morre na terra árida. Porém, há os que têm o cuidado de guardar a semente, plantar e regar. Essa responsabilidade faz com que a confissão da esperança descrita em Hebreus nos faça entrar no mundo espiritual e responsabilizar a chamada com a resposta que queremos da terra.“…retenhamos inabalável a confissão da nossa esperança, porque fiel é aquele que fez a promessa…” (Hebreus 10:23)

A nossa chamada é plantar a semente. E a resposta da terra é produzir. É assim que devemos trabalhar. Muitas pessoas não têm a responsabilidade de tirar a semente do celeiro, regar e cuidar. Pensam que apenas plantar a semente já é suficiente, quando isso não é verdade.

É preciso estabelecer o Princípio, dar ordem no reino espiritual e confessar diariamente. Quando confessamos a semente, chamamos à existência o fruto que está guardado dentro dela.

A bênção que explode na nossa direção e que, no futuro, manifesta o fruto está no DNA da semente. Precisamos entender que, no mundo espiritual, tudo funciona na legalidade. Não podemos aventurar as sementes nem deixar de fazer a nossa parte, que é confessar a semente, reconhecendo que esse é um trabalho árduo.

Quando digo que é um trabalho árduo, é porque precisamos, além de plantar as sementes, estar em todo o tempo regando a semente, removendo as ervas daninhas e tudo que impossibilite a semente de germinar de forma saudável. Caso contrário, ela será sufocada.

Os espinhos da vida sufocam a semente, ainda que ela caia em terra adequada. Existem espinhos que são abrolhos, que são maldição, que vêm para interromper o processo da semente. É nesse momento que as pessoas falam o que não deviam e colhem, como resultado, a anulação do resultado da semente.

O líder de Honra confessa a semente em todo o tempo, lançando sobre ela a palavra profética de que crescerá e dará fruto a cem por um. Jesus falou sobre isso no texto de Mateus 13:8. Jesus fala sobre o poder da semente, a semente regada.

Jesus explica que, no mundo espiritual, a semente é vigiada por dois olhos. O primeiro olho é o do dono da semente, pois somos líderes espirituais. E o segundo olho é o do mundo espiritual da maldade, querendo arrebatar a nossa semente, fazendo uma transferência de universo, ou seja, removendo do Reino de Deus para o reino do inimigo.

Há uma força no mundo espiritual que luta para remover a nossa semente e roubar a possibilidade da colheita extraordinária que esperamos. Por isso, advirto você sobre a importância de confessar as sementes de Honra, exercendo o Princípio da fé, para ter como direito e resultado uma colheita extraordinária.

A você, declaro, com toda a fé que há no meu coração, que sementes confessadas manifestam fruto de mudança, que você terá uma colheita extraordinária se o Princípio for guardado.

Não conheço ninguém que não tenha mudado absurdamente de vida após viver pelo Princípio da Honra. Mesmo pessoas que eram simples ou neófitas foram transformadas e se tornaram relevantes dentro do contexto de vida, e isso em todos os sentidos.

Eu tenho trabalhado com a comunidade, com a sociedade e com o discipulado específico. E sempre ensino que tudo no reino espiritual traz um resultado extraordinário. Quando plantamos sementes, sabemos exatamente o resultado que estamos colhendo e vamos colher.

Tudo que colhemos no presente é resultado das sementes do passado. Tudo que você plantar no presente frutificará no futuro. O nosso futuro, que se revela no presente, é exatamente a resposta da semente do passado.

Não podemos ignorar isso, pois essa é a lei da semeadura. A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória. Muitas pessoas estão avaliando a sua história de vida de forma errada: avaliando o futuro, ignorando o passado e desprezando o presente.

É preciso ter consciência de que não haverá futuro de êxito sem conserto do passado e respeito relevante ao presente. As pessoas pensam que pelo fato de terem nascido de novo, terem Jesus no coração e Ele ser o Senhor da vida, elas já têm tudo. Vamos deixar claro que isso é uma porção preciosa e que não pode ser negociada, não obstante, não podemos deixar de fazer a nossa parte que é andar no Seu Caminho. E o caminho de Jesus é um caminho norteado por Princípios.

Jesus plantou a semente de Redenção para nos encontrarmos com o Pai e nesse caminho que estaremos palmilhando, descobriremos que quando os Princípios são guardados, fazemos uma colheita extraordinária, guardando o coração e lembrando que a Honra dá direito a um futuro de êxito.

O presente existe para duas coisas: primeiro para voltarmos ao passado através das veredas antigas e fazermos consertos com atos proféticos e remissão das sementes de desonra plantadas, para que tenhamos direito a Honra dupla. Segundo para entender que o nosso presente é um caminho aberto para o nosso futuro e que devemos plantar nele as sementes que nos garantirão um futuro de êxito.

Advirto a milhares de pessoas que amo, que não brinquem com o mundo espiritual, porque tudo o que plantarmos, colheremos. “Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará.

Porque quem semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas quem semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna.” (Gálatas 6:7-9)

A declaração de Gálatas 6 diz que não devemos errar e mostra que só colhemos vida eterna se plantarmos no espírito. O ensino de Paulo não foi para qualquer pessoa, mas uma direção à mente dos Gálatas para que entendessem que somos resultado das sementes.

Todas as vezes que plantamos sementes estamos dando um comando para o futuro. Se plantarmos sementes de vida, colheremos vida. Se plantarmos sementes de morte, colheremos morte. As sementes do presente definem nosso futuro.

A nossa posição deve ser, como líderes espirituais, compreender que somos seres espirituais e que quando consolidamos a Honra no nosso presente, temos direito a um futuro de êxito, porque as sementes frutificam. Essa é a forma de prosperarmos, através das sementes de mudança. Assim, o inimigo não ganha vantagem no nosso caminho e tudo que é articulado pelas obras das trevas é neutralizado. E o que foi desonra no passado, podemos consertar, através de atos redentivos, voltando às veredas antigas. Assim, teremos direito a um futuro de êxito.

Declaro que encontrarei você, em breve, convicto de que valeu a pena a instrução, pois debaixo de arrependimento, você terá direito de redimir a terra e ver seu solo e sua semente sendo regada.

Guarde sempre o coração em Deus e a verdade do ensino sobre consolidar a Honra no presente para ter direito a um futuro de êxito. Esse é o meu direito, o seu direito e de todos os que se movem no Princípio da Honra.

 

Fonte: Ministério Internacional da Restauração
Site: www.mir12.com.br

Author: admin

Deixe uma resposta